• Quel ^^

Tudo sobre a polêmica envolvendo a banda TheEastLight.

Atualizado: 10 de Abr de 2019


Poucos já ouviram falar da banda TheEastLight., formada sob a Media Line Entertainment, contando com membros muito jovens, o mais velho tendo 18 anos, nascido em 7 de setembro de 2000 e o mais novo tendo 17 anos, nascido em 31 de dezembro de 2001. A banda ganhou mais reconhecimento após Lee Woo Jin tornar-se melhor amigo de Kang Daniel, ex- Wanna One, enquanto ambos competiam no programa de survival da Mnet, Produce 101 Season 2.


A polêmica toda começou em 18 de outubro de 2018, quando o portal de notícias Xportsnews reportou que membros do TheEastLight. haviam sido verbalmente abusados pelo CEO da Media Line Entertainment, Kim Chang Hwan, e fisicalmente abusados pelx produtor(a) "A" de 2015 até a data do artigo.


De acordo com uma fonte:


"X produtor(a) 'A' não só atacou verbalmente e puniu os membros do TheEastLight., que são menores, como também deu tapas neles e foi severamente violentx usando um taco de beisebol, um microfone de metal e mais"

A supostamente teria enrolado uma corda de violão ao redor do pescoço de um dos membros e a puxava cada vez que este cometia um erro em sua performance. Se os membros tentassem reclamar, ele os ameaçava dizendo que matá-lo-ia. Como resultado, alguns membros sofreram ferimentos como sangramento em suas cabeças e hematomas em suas nádegas.


O CEO, Kim Chang Hwan, supostamente teria permitido o acontecimento de tais ações e também teria, alegadamente, xingado e ameaçado os membros. Depois de ver "A" trancado os membros e abusando fisicamente deles, Kim Chang Hwan simplesmente comentou: "Não seja tão duro". A fonte compartilhou:


"Um dos membros chegou inclusive a receber tratamento para dor física e psicológica por conta dos abusos físicos e verbais"


No mesmo dia, Media Line Entertainment lançou uma declaração oficial sobre os supostos abusos infligidos aos membros do TheEastLight..


"Olá. Aqui é a agência do TheEastLight., Media Line Entertainment. Primeiramente, gostaríamos de pela situação lamentável que ocorreu. Ficamos cientes pela primeira vez dos atos de abuso físico do produtor executivo do TheEastLight. feitos à banda durante seus treinamentos e aulas há, aproximadamente, um ano e quatro meses. Após a descoberta, conversamos com os pais dos membros para resolvermos a situação e prometemos que tais atos jamais ocorreriam novamente. Não houve incidentes deste tipo desde aquela época, e o TheEastLight. tem promovido ativamente. Porém, a fissura emocional entre alguns dos membros e o produtor aumentou, e é o que acreditarmos ser a causa da situação atual. O produtor em questão assumiu total responsabilidades sobre seus atos errôneos e entregou sua demissão, a qual aceitamos. Sobre os artigos feitos hoje sobre o CEO, Kim Chang Hwan, ele tem carinhosamente cuidado dos membros desde que eles eram trainees, muito novos, pelos últimos quatro anos e, apesar dele ter disciplinado os meninos, às vezes, como qualquer pai faria, ele nunca instigou ou induziu qualquer ato de violência. Entretanto, ele sente dor ao saber que ele não foi atencioso quanto deveria ter sido com os membros. Trabalharemos duro para achar a melhor solução para os membros afetados e para as futuras atividades do TheEastLight.. Novamente, expressamos nossas profundas desculpas"

Também no dia 18, um representante legal do TheEastLight. lançou uma declaração oficial dizendo que uma conferência de imprensa seria realizada no dia seguinte para falar sobre os relatos iniciais de abuso cometido tanto pelo produtor quanto pelo CEO da agência. O advogado declarou:


"O membro 'B' [do TheEastLight.] irá comparecer pessoalmente à conferência para dar seu próprio testemunho sobre o abuso. Ele também proverá evidência relevante e responderá perguntas da imprensa"

Em 19 de outubro, junto com um advogado chamado Jung Ji Seok, Lee Seok Cheol compareceu à coletiva de imprensa planejada e falou sobre os recentes relatos de abuso. Durante a coletiva, Lee Seok Cheol afirmou:


"Como o líder do TheEastLight. e como um dos artistas do pop coreano que lidera a cultura coreana, eu não podia mais tolerar a dor pela qual nossos membros estão passando. Decidimos fazer uma coletiva de imprensa esperando eliminar o abuso infantil e as violações dos direitos humanos na indústria do K-Pop"

Ele compartilhou:


"De 2015 a 2017, o produtor nos fazia repetidamente deitar no chão enquanto ele batia em nossas nádegas com tacos de beisebol e barras de metal na sala de ensaio ou no estúdio de gravações. Ele até mesmo ameaçou nos matar caso contássemos aos nossos pais. Meu irmão [Lee Seung Hyun, outro membro do TheEastLight.] foi trancado no estúdio e o produtor o acertou na cabeça, nos braços e nas nádegas diversas vezes. Sua cabeça ficou com feridas sangrando e hematomas. Ele está traumatizado após todas as ameaças e toda a violência, e está atualmente passando por tratamento psicológico"


O advogado da banda, Jung Ji Seok, também revelou que Lee Seung Hyun foi forçado a deixar a banda após protestar ao CEO sobre a volta do produtor "A" à agência. Jung Ji Seok declarou:


"Os pais de Lee Seung Hyun e de Lee Seok Cheol não sabiam sobre isso até a agência os prometer que este tipo de violência para com os membros nunca aconteceria novamente. Eles não sabiam que a violência ocorria repetidamente. Eles só sabiam sobre um incidente. Eles descobriram sobre toda a situação após implorarem a seus filhos para lhe contarem tudo quando Lee Seung Hyun foi removido da banda. Não somente Lee Seung Hyun mas Lee Seok Cheol, ambos decidiram que não podem mais ficar nesta agência inumana. Decidimos tomar medidas legais contra o CEO, Kim Chang Hwan, e o produtor 'A'"

Após a conferência, o CEO lançou uma declaração oficial. Lê-se:


"Aqui é Kim Chang Hwan, o CEO e produtor-geral da Media Line Entertainment, agência do TheEastLight.. Primeiramente, como a pessoa responsável pela empresa e pela banda, estou fortemente ciente de meus erros e me desculpo profundamente pelo que aconteceu por meu gerenciamento ruim da equipe. Conforme eu assistia à coletiva de imprensa de Lee Seok Cheol, meu coração doía tanto quando doeu ao descobrir, há um ano e quatro meses, que os membros tinham sido vítimas de agressões. Porém, como foi declarado ontem, enquanto trabalhando com muitos artistas nos últimos 30 anos de minha carreira, eu nunca instiguei ou induzi a atos violentos e, ao passo que houve situações onde ensinei ou restringi os membros, declaro mais uma vez que nunca cometi abuso verbal ou físico. Eu humildemente aceito o criticismo quanto aos meus erros e minha negligência, e tentarei sanar todas as dúvidas ao conversar com os membros honestamente. Entretanto, para o futuro dos quatro membros restantes do TheEastLight., responderemos ativamente quanto aos atos de difamação cometidos através de exageros e informações falsas. Peço desculpas mais uma vez por causar preocupações com essa controvérsia"

No mesmo dia, o programa "News Room", da emissora JTBC, divulgou uma gravação de áudio recebida de Lee Seok Cheol, incluindo o CEO falando com ele após ele ter falado que iria a público sobre o abuso.


Na gravação, Kim Chang Hwan diz:


"Se você confiou algo [a algúem], então você tem que deixar isso pra lá mesmo que batam em você até a morte. Se você for aos jornais como uma celebridade, não terá nenhum chão para ficar de pé, seu **. Quem vai ** aceitar uma criança com problemas? Você não pode fazer disso grande coisa, não pode. Seus pais só ficarão mais chateados. Dez vezes mais chateados do que estão agora"

Sobre o arquivo de áudio, a Media Line afirmou que, mesmo que a conversa entre Kim Chang Hwan e Lee Seok Cheol tenha se tornado acalorada, o CEO só queria ajudar todos os membros para que continuassem a fazer música.


Enquanto isso, o pai de Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun falou sobre o problema no programa "Entertainment Weekly", da KBS2. Ele disse:


"Por três, quatro dias, eu não consigo dormir nem comer. Estou muito chateado. Depois de ouvir que os outros membros do TheEastLight. também foram abusados, estou muito chateado. Ouvir ele [Seok Cheol] dizer que rangia seus dentes e aguentava ser agredido, machuca tanto meu coração. Espero que nunca haja outra agência assim. Há muitas crianças fazendo música hoje em dia, e nenhuma agência deveria os estar atingindo"

Em 21 de outubro, Lee Seok Cheol contestou publicamente as declarações da Media Line Entertainment sobre suas alegações de abuso. Seu advogado também revelou mensagens de texto trocadas com Moon Young Il, o produtor acusado de abusar física e psicologicamente os membros da banda, assim como fotos dos ferimentos de Lee Seung Hyun.


Jung Ji Seok, o advogado representando os irmãos Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun, refutou as explicações feitas pela Media Line Entertainment e seu CEO, Kim Chang Hwan. Ele declarou:


"Uma parte do debate da imprensa pela verdade é errado. A essência desta situação é que o produtor Moon abusava regularmente os membros do The East Light, e fez isso por aproximadamente 4 anos, de março de 2015 até agora. Ele feriu os membros usando armas variadas, incluindo um taco de beisebol, um microfone de metal e uma barra de ferro"

Adicionalmente, o advogado revelou provas fotográficas dos ferimentos causados à cabeça de Lee Seung Hyun, aos seus braços, às suas coxas e suas nádegas. Jung Ji Seok também respondeu ao recente rumor de que Lee Seung Hyun havia sido removido da banda pela agência por causa de seu caráter. A agência havia citado um incidente no qual Lee Seung Hyun, supostamente, teria encarado o produtor Moon Young Il e dito "Por favor, não fale, já que é alguém que bate nas outras pessoas".


O advogado enfatizou:


"Um debate sobre a verdade é só um jeito de distorcer a essência do problema. A agência até mesmo trouxe a questão do caráter de Lee Seung Hyun, e estão tentando usar de falsa equivalência [como se os dois lados estivessem errados da mesma maneira]. Não há nada que justifique abuso"

O advogado continou e revelou uma gravação de uma chamada telefônica e várias mensagens de texto que o pai de Lee Seung Hyun trocou com o produtor Moon Young Il e o CEO Kim Chang Hwan.


Depois da remoção de Lee Seung Hyun da banda, em 4 de outubro, Kim Chang Hwan ligou para Lee Seok Cheol duas vezes, nos dias 11 e 15 de outubro, e Lee Seok Cheol gravou ambas as conversas. Jung Ji Seok, que só divulgou parte da conversa à imprensa, afirmou que está planejando entregar a gravação inteira uma vez que abra denúncias criminais.


Abaixo está uma tradução das mensagens reveladas:


[As primeiras duas conversas são entre o produtor e o pai dos dois membros]


21 de agosto:

Pai: Esta é a foto do machucado que você fez no corpo de Seung Hyun. Você pode ter esquecido disso, mas a evidência ainda existe.


Pai: Não esqueça que você não está em uma posição de abusar de seu poder, e não cometa nenhum ato cruel ou crimes tais como violência física, abuso verbal e supervisão dos membros do TheEastLight.. Espero que você esteja respeitando a humanidade que uma pessoa deve ter.


Pai: Sr. Moon Young Il, espero que você tenha em mente que, a partir de agora, se cometer qualquer ofensa criminal contra os membros do TheEastLight., incluindo Seok Cheol e Seung Hyun, eu não simplesmente tomarei uma ação legal como também prepararei um grande processo civil contra você.


Moon Young Il: Eu irei repetidamente pensar em tudo que você disse.


Pai: Parece que você não está entendendo. Você não deveria só pensar, deveria também colocar em prática.


22 de agosto:

Pai: Sr. Moon Young Il, está uma imagem da barra de erro que você usou para bater em Seung Hyun, lembra? Estou mandando para que você possa se lembrar, caso tenha esquecido.


Moon Young Il: Peço desculpas. Sinto que não há mais nada que eu possa dizer a você.



[As duas conversas abaixo são entre o CEO e o pai dos meninos]



20 de agosto:

Pai: CEO Kim, tentei pensar de um jeito positivo mas há coisas que simplesmente não são certas.


Pai: Eu peço oficialmente que o produtor Moon seja demitido [da agência].


Kim Chang Hwan: Ok. Arranjarei tempo [para vê-lo].


Em 22 de outubro, o advogado dos irmãos declarou:


"Hoje, às 11 da manhã, nós iremos apresentar uma queixa contra o produtor Moon Young Il e outros quanto ao caso de violência com os membros do TheEastLight.. O pai dos irmãos, que é o representante legal dos dois, irá prestar as queixas enquanto Ji Jung Suk o acompanhará"

Também em 22 de outubro, Media Line Entertainment revelou que todos os membros deixariam agência:


"Após profunda consideração, nós estamos anunciando que decidimos terminar os contratos dos quatro membros restantes do TheEastLight. (Lee Eun Sung, Jung Sa Gang, Lee Woo Jin e Kim Jun Wook)"

A declaração explica que a agência discutiu com os quatro membros e seus pais sobre qual seria a melhor escolha, e orifinalmente uma coletiva de imprensa estava planejada, com a presença dos quatro membros.


A declaração continua:


"Entretanto, tivemos preocupação sobre os jovens membros receberem dores adicionais durante a coletiva de imprensa já que estão no centro deste problema e, considerando as dores dos membros e seus futuros como prioridade, chegamos à conclusão de que terminar os contratos dos quatro membros seria a melhor medida. Estamos discutindo o processo de término do contrato com os pais dos quatro membros. Preocupamo-nos com o fato dos membros se sentirem inseguros quanto aos seus futuros com o término do contrato, mas pedimos por seu apoio para que os jovens membors não sejam ainda mais machucados e possam sonhar novamente após curar suas feridas. Adicionalmente, como a controvérsia continua crescendo e sempre vem à tona, não responderemos desnecessariamente à imprensa em consideração à dor potencial dos seis membros, incluindo os irmãos (Lee Seok Chul e Lee Seung Hyun). Também participaremos ativamente na futura investigação policial e, no processo, não evitaremos responsibilidades e solucionaremos os problemas. Pedimos sinceramente que artigos especulativos sem resultados investigativos que possam causar dor aos membros não sejam publicados de agora em diante"

Em 24 de outubro, um vídeo antigo do TheEastLight veio à tona e incitou irritação na comunidade online.



O vídeo, postado no canal oficial da banda em novembro de 2017, segue os garotos conforme eles concluem os compromissos do dia.


Após as recentes alegações de abuso, netizens perceberam sons no fundo do vídeo na marca de 28 segundos: Lee Seok Cheol dizendo "Foi um erro" e repetidamente dizendo, enquanto é agredido com algo, que está doendo.

Lee Eun Sung, Kim Jun Wook e Jung Sa Gang estavam sendo filmados na hora e, após olharem para ver o que estava acontendo, Lee Eun Seung explicou: "Na verdade, a caminho daqui, Seok Cheol estava tocando música no carro e abriu o teto solar sem que o motor estivesse ligado, fazendo tudo o que queria, então a bateria de um dos carros arriou. Ele está sendo disciplinado por nosso empresário"


A câmera vira para mostrar o que está acontecendo mas o vídeo é cortado e outro logo começa, com uma curta mensagem dizendo que o vídeo foi deletado por pedido da agência.


Espectadores comentaram: "Se é assim com a câmera gravando, não consigo imaginar como é quando não estão filmando" e "O quanto isso deve ter acontecido diariamente para eles colocarem algo assim no vídeo como sendo engraçado?"


Em 26 de outubro, os irmãos Lee Seung Hyun e Lee Seok Cheol visitaram a Delegacia de Bangbae com seu pai, que é seu representante legal, e seu advogado, Jung Ji Suk.


Foi a primeira aparição pública de Lee Seung Hyun após o caso de abuso ser revelado. Ele fez uma breve declaração na frente da imprensa antes de entrar na delegacia:


"Estou muito exausto e com medo. O CEO Kim Chang Hwan só ficou observando enquanto o produtor Moon Young Il batia em mim e me trancou por quatro horas, em 13 de junho. Tudo que ele disse foi: 'Não seja muito duro', apesar de Moon Young Il estar me segurando pelos meus cabelos e minha cabeça estar sangrando. O produtor continuou fazendo aquilo por mais duas, três horas. Eu me lembro claramente, como se tivesse acontecido ontem. Estou com tanto medo."

Quando perguntado se ainda frequentava a psicoterapia, ele disse: "Sim, estou atualmente recebendo tratamento. Isso não pode acontecer novamente. Estou lhes dizendo isso agora, mas revelarei tudo durante a investigação".


Em 30 de outubro, o programa "Night of Real Entertainment", da emissora SBS, revelou uma entrevista esclusiva com Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun, que falaram mais sobre o abuso que sofreram na Media Line Entertainment enquanto membros do TheEastLight..


A entrevista foi gravada em 26 de outubro, após o testemunho dos irmãos à polícia. Durante a entrevista para o programa, quando perguntado sobre a entrevista contra-argumentária do CEO, Kim Chang Hwan, Lee Seok Cheol disse:


"Fez com que eu pensasse que ele não nos via como um pai faria, mas sim como produtos a serem vendidos. Qualquer confiança que eu pudesse ter nele foi destruída. Ele disse que manteria sua promessa de prevenir a violência mas, por termos contado aos nossos pais, tivemos que receber treinamento sobre posições de poder e tivemos que plantar bananeira por uma hora"

O irmão mais novo de Lee Seok Cheol, Lee Seung Hyun, adicionou: "Ele frequentemente me xingava e me chamava de criança nojeta. Era tão difícil que eu pensei muitas vezes sobre pular no rio Han [cometer suicídio]"


Perguntado sobre quando o abuso começou, Lee Seung Hyun disse que quando ele tinha quatorze anos e confirmou que o membro mais novo, Lee Woo Jin, que era um estudante do fundamental na época, também era agredido.


Lee Seok Cheol disse: "Tínhamos um chat em grupo onde sempre nos reportávamos para o CEO, dizendo quando chegávamos e quando saíamos. Éramos agredidos se não mandássemos mensagem".


Vendo as notícias sobre os contratos dos membros restantes terem sido terminados, Lee Seok Cheol disse que só chorou e que talvez não devesse ter dito nada e que, desde sua coletiva de imprensa, não havia falado com os outros membros.

Em 20 de dezembro, Moon Young Il foi preso antes de seu julgamento.


O representante legal dos irmãos lançou uma delaração oficial sobre o assunto:


"Olá. Aqui é o advogado Jung Ji Seok. Desde 20 de dezembro, a Delegacia de Bangbae, que está investigando o caso envolvendo Moon Young Il e o TheEastLight. prendeu Moon Young Il através do Escritório da Promotoria do Distrito Central de Seoul por acusações de extraordinária e repetida violência. Através do Escritório da Promotoria do Distrito Central de Seoul e das Cortes do Distrito Central de Seoul, a Delegacia de Bangbae preencheu um mandado de prisão para Moon Young Il, e um juíz emitiu o mandado em 14 de dezembro. O mandado foi cumprido na manhã de 15 de dezembro e confirmamos que Moon Young Il está atualmente na prisão da Delegacia de Seocho. A Delegacia de Bangbae também tem investigado o CEO Kim Chang Hwan e o presidente Lee Jung Hyun, da Media Line Entertainment, por incitarem e induzirem violência e violarem os direitos da criança e do adolescente. Kim Chang Hwan teve seu caso encaminhado ao escritório da promotoria para ser indiciado, enquanto Lee Jung Hyun teve seu caso encaminhado com a sugestão de não indiciamento. Suspetos que são encarcerados pelo escritório da promotira são mantidos por até dez dias, então acreditamos que ele será sentenciado até o final do ano caso não haja nenhuma circunstância especial. Obrigado."

Em 26 de dezembro às duas horas da tarde KST, a Media Line Entertainment fez uma coletiva de imprensa para falar contra os relatos de abuso causados aos membros do TheEastLight., contando com a presença de Kim Chang Hwan, Lee Jung Hyun e Jung Ga Sang e Lee Eun Sung, antigos membros da banda.


Kim Chang Hwan começou: "Pelos últimos dois meses, nós participamos ativamente nas investigações policiais. Porém, não consigo deixar de lado a percepção de que a investigação está comprometida, seguindo a opinião pública por causa da coletiva de imprensa individual do acusador ao invés de ser guiada pela verdade e essência do incidente. Daremos evidências claras e explicaremos a verdade que não foi revelada à mídia".


O presidente da agência, Lee Jung Hyun, então continuou: "Desde quando os membros começaram como trainees, o produtor Moon Young Il agiu como um professor exclusivo dos membros. Naquela época, os membros entenderam que iriam definitivamente receber punição física quando sendo repreendidos por não cumprirem o prometido ou fazer algo errado"


Sobre a declaração de Lee Seok Cheol de que os membros foram ameaçados a não contar para seus pais, Lee Jung Hyun disse que os pais já sabiam. "Após puni-los fisicamente, o produtor Moon pediu que os pais aplicassem remédio neles, e ele mantia um contato frequente com o pai de Lee Seung Hyun, que causava muitos problemas. Após Lee Seung Hyun causar problemas por faltar em um compromisso em 13 de junho de 2017, seu pai viajou até aqui rapidamente após ser contatado por Lee Seok Cheol e discutiu a punição física de Lee Seung Hyun com o produtor Moon Young Il".


Apresentando capturas de tela de suas conversas, Lee Jung Hyun disse: "No dia seguinte, aproximadamente às quatro da manhã, o CEO Kim Chang Hwan conversou com os pais de Lee Seung Hyun via KakaoTalk. O pai de Lee Seung Hyun desculpou-se pelos problemas causados pelo filho e prometeu educá-lo. A mãe de Lee Seung Hyun ficou chateada sobre a severa puniçção física aplicada pelo produtor, mas disse que não o odeia e pareceu perdoá-lo. Kim Chang Hwan disse que repreendeu muito o produtor e consolou os dois. O pai de Lee Seung Hyun encontrou-se com o produtor Moon Yooung Il e o consolou enquanto se abraçavam. Ele o consolou novamente através de mensagens de texto e pediu que ele fosse um bom professor para os irmãos. A Media Line não ajudou o produtor a cometer agressões de maneira alguma".


Lee Jung Hyun também falou que suas suspeitas de que a maioria das fotos dos ferimentos apresentadas como evidência são resultado de punições físicas realizadas pelo pai dos irmãos.


Lee Eun Sun e Jung Sa Gang apoiaram esta declaração, dizendo que Lee Seok Cheol compartilhou que ele e Seung Hyun eram punidos fisicamente pelo pai quando o mais novo causava problemas na agência.


Jung Sa Gang então falou: "Meu coração dói enquanto as pessoas que são mais próximas de mim e que eu mais amo, incluindo o CEO, estavam se machucando após este incidente causado pelo que não é verdade. Nossos contratos foram terminados, mas não podemos ficar parados. Nós viemos hoje para ajudar nem que seja um pouco com a revelação da verdade"


Sobre o produtor e o CEO, Lee Eun Seung disse o seguinte:


"Eles são como um professor e um pai. Ambas nossas casas são fora de Seoul. O CEO nos deixava dormir na agência e cozinhava para nós. Enquanto vivíamos em Seoul sozinhos, ele cuidou muito de nós e nos guiou. Sou muito grato à ele já que nos guiou por um bom caminho. De certo modo, o produtor Moon Young Il foi um bobo. Ele queria que fizéssemos sucesso, e só pensava sobre nós. Ele até mesmo pegou empréstimos no banco para nos pagar refeições. Ele não queria que passássemos fome. Ele foi um bobo que só pensou no TheEastLight.. Nos dias de nosso debut e quando éramos trainees, recebemos punição física. Não éramos atingidos dezenas de vezes ou trancados, como Seok Cheol e Seung Hyun declararam. A punição física era no máximo termos as palmas de nossas mãos atingidas, assim como acontecia na escola. Seung Hyun diz que eu fui acertado até que minha cabeça sangrasse. Naquela época, Seung Hyun havia causado problemas, então todos fomos repreendidos. Então, não tenho certeza do motivo, mas eu não consegui não rir, então o produtor me deu um peteleco na cabeça. Não doeu, mas minnha cabeça começou a sangrar. Nenhum de nós sabe como isso aconteceu"

Jung Sa Gang continuou:


"Meus pensamentos são como os de Eun Sung. Quando entramos na agência, éramos muito jovens, então brigávamos muito mas também tivemos momentos bons. O sonho do produtor também era ser um cantor então, quando éramos preguiçosos com nosso treinamento, ele nos repreendia severamente e ficava chateado. Havia punição física. Entretanto, os relatos fizeram com que parecesse que ele é um monstro. Meu coração dói ao ler as reportagens, tão diferentes da verdade. O CEO, Seok Cheol e Seung Hyun, todos assistiam filmes juntos e se divertiram juntos. Até o incidente acontecer, não tínhamos a menor ideia de que eles estavam abrindo um processo. Seok Cheol veio à frente e falou como se estivésse representando todos nós, mas eu simplesmente não conseguia entender. Honestamente, fiquei furioso. Eu acho que poderia ser descrito como um setimento de traição. Durante três anos, Seok Cheol e Seung Hyun seguiram as ordens do CEO muito bem. Seok Cheol até mesmo escreveu: 'Meu segundo pai, Kim Chang Hwan', em suas redes socias. Porém, conforme eles simplesmente trocaram de lado e tomaram o poder em suas próprias mãos, queríamos falar algo, mas parecia que as pessoas não nos ouviriam. Sinto-me injustiçado"

Sobre o relato de Seok Cheol de que o produtor enrolou uma corda de guitarra ao redor de seu pescoço e o ameaçou, Lee Eun Seung disse:


"Estávamos brincando depois de assistirmos o filme 'Whiplash', e Seok Cheol enrolou a corda ao redor de seu pescoço ele mesmo. Então o produtor Moon Young Il brincou um pouco com ele. Estávamos todos brincando, felizes, conforme treinávamos, mas me deixou muito triste que este momento foi distorcido e pintado como um inferno. Houve um incidente realmente chocante. Como eu sou um dos mais velhos, repreendi os membros após uma gravação de um programa de música semanal porque não gostei da nossa performance, mas Seung Hyun começou a gritar. Eu fiquei irritado e ele tirou seu celular e disse: 'Estou gravando, tome cuidado'. Ouvir isso foi tão chocante que me perguntei se deveria estar em um time com um membro assim. Depois desse ocorrido, eu me lembro de ter ido à agência e chorado no estacionamento porque fiquei muito chateado. Os dois (Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun) tiveram a escolha de seguir seus sonhos ou desistir, mas nós nem mesmo tivemos essa escolha antes de nosso time ter sido destruído uma certa manhã."

Sobre se eles estiveram em contato com os irmãos, Lee Eun Sung revelou que eles frequentam a mesma escola. Jung Sa Gang explicou: "Estamos no primeiro colegial juntos, então não podemos não nos encontrar mas, quando isso acontece, eles se esforçam em fugir. Estamos contando a verdade, então não temos medo de nada nem nos sentimos culpado. Vendo eles nos evitarem, faz com que eu pense que eles sabem disso também".


Em 28 de dezembro, Jung Sa Gang postou em seu Instagram: "Eu não sabia que era difícil assim falar a verdade. Não importa o quanto alguém queira esconder seu rosto atrás de maquiagem, eventualmente seu rosto limpo irá aparecer. A verdade é um rosto limpo".


O vídeo que ele compartilhou é uma cena do drama da BC, "Um Pedido a Deus", no qual a personagem principal, interpretada por Han Chae Young, diz: "Para fabricar a verdade, a pessoa tem que cortar o contexto. Atualmente, chamamos isto de 'edição do diabo', no nosso mundo".


Essa citação é seguida da pergunta: "Se aquele vídeo foi fabricado, então por que você ficou em silêncio? Quem cala não consente?". A personagem de Han Chae Young responde: "Quando as mentiras estão por todos os lados, a verdade se torna mais fraca. Porém, a verdade é um rosto limpo. Mentir é tentar cobri-lo. O rosto limpo eventualmente aparecerá".


Lee Eun Sung curtiu a mensagem que Jung Sa Gang postou, expressando sua concordância. Porém, a postagem criou um debate. Alguns comentadores apoiaram suas ações e disseram: "A verdade virá à tona, eventualmente. Eu o apoio", "Obrigadx por ser corajoso" e "O apoiarei para que a verdade seja revelada".


Entretanto, muitos netizens também criticaram Jung Sa Gang e disseram: "Não faça joguinhos deste tipo com os nossos membros", "Isto não parece certo" e "Jung Sa Gang, por favor, não se torne um criminoso".


Em 2 de janeiro de 2019, Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun visitiram o Escritório da Promotoria Central de Seoul para testemunharem como autores da queixa de seu caso.

Antes de entrarem no prédio, Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun responderam perguntas feitas por repórteres e declararam suas posições em releção aos relatos feitos pelo CEO Kim Chang Hwan durante a coletiva de imprensa realizada pela empresa no dia 26 de dezembro de 2018.


Lee Seok Cheol afirmou:


"Eu tenho muitas coisas a dizer sobre a recente coletiva de imprensa feita pela agência. Fiquei chateado ao ouvi-los dizer que falei coisas que sei que nunca fiz. Eu continuarei fazendo o meu melhor para falar honestamente em benefício à investifação, e falarei com eles sobre as ações das quais sou acusado de ter feito, mas as quais nunca fiz. Como eu disse na minha coletiva de imprensa anterior, espero que coisas deste tipo nunca mais aconteçam na indústria do K-Pop. Isto não é só sobre o que eu e meu irmão passamos. Farei o meu melhor para o interrogatório de hoje"

Os irmãos foram perguntados sobre o relato de Kim Chang Hwan de que seu pai os abusava. Lee Seok Cheol declarou:


"Ele nunca nos bateu. Ficamos magoados pelos relatos. Eles disseram que ele (nosso pai) nos acertava com um taco de golfe mas, não só nosso pai não joga golfe como também não temos dinheiro o suficiente para que nosso pai banque um hobby como golfe. Ouvir aquilo fez com que eu me sentisse apologético em relaçã ao nosso pai e me fez pensar: 'Será que errei ao tentar ir atrás de uma carreira na música?'. Eu sempre tive orgulho do meu pai e ele nunca nos agrediu. Somos uma família que prefere conversar quando há um problema, e fico chateado que uma das declarações pintou meu pai como um pai ruim"

Lee Seok Cheol também negou os relatos de que sua descrição da agressão cometida por Moon Young Il foi exagerada, dizendo que simplesmente descreveu o que viveu pessoalmente. Quando perguntado para comentar sobre os relatos de Jung Sa Gang e Lee Eun Sung de que os irmãos os evitavam na escola, Lee Seok Cheol disse: "Nunca houve discórdia em nosso grupo. Houve sim brigas pessoais, mas nunca houve discórdia no grupo como um todo. E, na escola, Jung Sa Gang e eu estamos em séries diferentes, então estamos em andares diferentes e raramente nos vemos. Lee Eun Sung raramente vem à escola. Eles declararam na coletiva de imprensa que estamos os evitando, mas nem mesmo temos a oportunidade de vê-los para começo de conversa".


Lee Seok Cheol também falou sobre Kim Chang Hwan ter lançado a gravação do circuito interno de segurança da agência que mostrava o pai dos irmãos removendo instrumentos da sala de ensaio, declarando que prestaria queixas contra ele por roubo:


"A gravação do circuito interno de segurança é do dia anterior à minha coletiva de imprensa em outubro. Alguns daqueles instrumentos eram instrumentos pessoais. A agência diz que roubamos os instrumentos, mas eu não vejo isto dessa maneira. Alguns dos instrumentos foram pagos pela agência, mas eles nem sabem o que eles são, como foram comprados nem como são usados. Eu mesmo fui comprá-los e eu fui o único que cuidou deles. A agência me deu o completo direito de cuidar dos instrumentos e de tê-los, e eu paguei os custos de manutenção com meu próprio dinheiro. Eu também não acho que podem chamar de roubo quando meu contrato exclusivo com eles ainda é válido e eu ainda estou tecnicamente sob a Media Line"

O irmão mais novo, Lee Seung Hyun, também foi perguntado se tinha algo a falar e ele afirmou: "Eu nunca agi do jeito que a agência diz que fiz. Eu não acho que foi justo me expulsarem completamente, e falarei sobre tudo durante a investigação".


Em 8 de janeiro, o CEO da Media Line Entertainment, Kim Chang Hwan, foi indiciado sem aprisionamento por queixas de abuso infantil e instigar abuso de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, embora ele tenha negado todas as acusações.

Em 13 de fevereiro, o advogado representando os irmãos Lee declarou:


"Entregamos um pedido ao Conselho Coreano de Arbitração Comercial. O contrato exclusivo com a Media Line incluía uma cláusula arbitrária e estamos seguindo esse processo. Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun não receberam nenhum pagamento durante suas promoções de 2016 a 2018. Pedimos uma verificação arbirtrária para verificar se houve algum problema com o processo de pagamento. Completamos o processo de investigação sobre a queixa de abuso, baseado na coletiva de imprensa feita por Kim Chang Hwan"

No julgamento realizado em 5 de março, a promotoria declarou que o produtor Moon Young Il havia ferido fisicamente os antigos membros do TheEastLight. Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun 31 vezes e havia também abusado mentalmente deles. A promotoria também disse que o CEO, Kim Chang Hwan, havia oferecido cigarros eletrônicos a Lee Seok Cheol, que era um menor na época, abusado fisicamente dele e também ajudado e apoiado a violência do produtor, Moon Young Il.


O produtor admitiu todas as acusações, e seu advogado declarou: "As acusações são verdadeiras, mas o réu está sendo mostrado como alguém que abusava habitualmente [os irmãos] por três anos e gostava de fazer isto. Isso não é verdade. Ele tinha um relacionamento próximo com as vítimas".


O CEO Kim Chang Hwan e o presidente Lee Jung Hyun negaram as acusações, dizendo que eles não haviam se envolvido, ajudado ou consentido com abuso infantil. Ao invés disso, eles disseram que haviam protegido as vítimas. Também discordaram do uso de testemunhos dados por seis pessoas, incluindo Lee Seok Cheol, Lee Seung Hyun e seu pais nas delegacias. Como resultado, a promotoria decidiu supinar Lee Seok Cheol e Lee Seung Hyun como testemunhas no julgamento.


Depois do julgamento, o advogado de Lee Seok Cheol e de Lee Seung Hyun, Jung Ji Seok, declarou: "Os dois estão bem. Seung Hyun está começando seu segundo ano do Ensino Médio, e Seok Cheol foi aceito no departamento de TV e Entretenimento da Universidade Ciber de Seoul. Seung Hyun não tem que ir à empresa mais, então está bem. Seok Cheol recebeu várias ofertas, também".


Durante a audiência, a Media Lina negou todas as acusações, e parece que a disputa legal será alongada já que ambas as partes estão prestando queixas. Lee Seok Cheol prestou uma queixa adicional em janeiro quanto à difamação.


O advogado explicou: "Os irmãos processaram 5 pessoas por difamação, incluindo o CEO Kim Chang Hwan, o presidente Lee Jung Hyun, um funcionário da Media Line que criou contas em redes sociais e Lee Eun Sung e Jung Sa Gang, que disseram em uma conferência de imprensa que o pai dos meninos teria abusado deles".


A próxima audiência será em 19 de abril às 3 da tarde KST e um interregatório das testemunhas será feito nesse dia. Fique ligadx para saber o que acontecerá a seguir.


Fontes: (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11) (12) (13) (14) (15) (16) (17) (18) (19) (20)


Instagram

Youtube

Facebook

Twitter

Email para contato: osowakorea@gmail.com

541.111.418-70

Prazo de entrega: 7-10 dias úteis