• Quel ^^

Entenda a polêmica envolvendo B.I, ex-membro do iKON + Yang Hyun Suk, proprietário da YG Ent.

Atualizado: 19 de Jun de 2019


Em 12 de junho, o Dispatch revelou que B.I, até então membro do iKON, foi acusado de tentativa de comprar drogas.


O artigo declara que B.I tentou comprar maconha e LSD (dietilamida do ácido lisérgico) em 2016 e que a polícia não o investigou, mesmo ciente do fato.


Um indivíduo chamado “A” foi preso em sua residência sob acusações de traficar drogas e, enquanto o celular de “A” era investigado, a polícia encontrou uma conversa no KakaoTalk (programa de troca de mensagens, equivalente ao WhatsApp) e B.I em abril de 2016, sugerindo que B.I tentara comprar substâncias ilícitas. Na conversa, B.I supostamente disse a “A" que ele fuma maconha e pediu que "A" fosse o intermediador e ajudasse B.I a comprar LSD.


Uma das conversas lê-se:

B.I. Quero usar aquilo (LSD) para sempre. É forte?

A: O L (LSD) é uma droga com presença bem forte na Coreia.

B.I: Não, não isso, haha. A força do efeito da droga.

A: Eu quis dizer que a droga em si, é bem forte, também.

B.I: Posso comprar o quanto eu quiser?

A: Sim.

B.I: Será que compro três? Tenho que economizar. Consigo um desconto se for você quem comprar?

A: Não, mas quando provar o L, maconha parecerá uma brincadeira de criança. É assim que você chega à cocaína. E, aí sim, você estará encrencado.

B.I: Haha, eu não farei isso. Usarei porque quero me tornar um gênio.

A: Você vai ficar que nem o "fulano", haha.

B.I: Eu vou ficar usando um droga só pro resto da minha vida. Para ser sincero, quero usar essa po*** todo dia, mas car****, é muito caro.

B.I: Mas quando você usa o L, ele realmente causa ilusões e alucinações e o resto?


Abaixo lê-se a tradução de outra conversa:


B.I: Devo comprar bastante? Haha, tipo 10?

A: Porque você é muito preguiçoso para comprar de novo?

B.I: Pois é, haha. Isso também! E eu também quero ter o suficiente (LSD) que chegue a valer 1 milhão de wons (cerca de R$3.258 reais).

A: Você é possessivo em relação à umas coisas estranhas.

B.I: Car****. Estou cogitando se devo comprar o equivalente a 10 milhões ou 1 milhão de wons.

A: 1 milhão de wons equivale a seis. 10 seriam 150 milhões de won (cerca de R$489.000,00).

B.I: Isso é caro, haha. Não há desconto para compras em grandes quantidades?

A: Vou perguntar. Por isso que estou falando para você comprar pouco, porque é a sua primeira vez.

B.I: Haha, ei, eu não sou assim. Tenho que começar pelo topo. É assim que homens devem ser.

B.I: Mas, por favor, pergunte se eu consigo um desconto por comprar bastante.

A: Vou perguntar.


Outra conversa continuou:

A: Ei, não fale sobre drogas com outras pessoas.

B.I: Haha, estou perguntando para você já que, já usei com você.

A: Se você continuar fazendo isso, eu que vou ser atingido pelo Yang (Hyun Suk). Tenha cuidado.

B.I: Você consegue pegar agora mesmo?

A: Você tem que tomar cuidado com o que fala.

B.I: Para o L (LSD), eu não vou ser pego se ficar quieto. Você tem que fazer um exame na coluna (para detectar o LSD).

A: Você pensa que eles não vão olhar o seu celular? Eles olham todas as usas conversas do KakaoTalk.

B.I: Eu sei. Estou correndo um risco fo**. Estou em Macau.

B.I: Voltarei à Coreia no sábado, e vou ter que comprar um pouco de você.


Houve um testemunho inicial de um traficante de drogas "C" que revelou o nome de seus clientes, supostamente incluindo B.I. Foi através de seu testemunho que a polícia prendeu o "A" e achou as conversas no KakaoTalk em seu telefone.


Em 22 de agosto de 2016, "A" testemunhou que entregou LSD ao B.I na frente do dormitório do iKON no bairro de Mapo, Seul, em 3 de maio de 2016. A polícia não intimou B.I a declarar nem o contatou.


Sobre isso, a polícia explicou que "A" mais tarde declarou em sua terceira investigação, em 30 de agosto de 2016: "É verdade que B.I pediu a droga, mas eu não o entreguei nada".


O Dispatch reporta que a YG Entertainment pagou os honorários do advogado para "A", e então pediu que ele ou ela mudasse seu testemunho.


A YG Entertainment contou ao Dispatch, através de uma ligação telefônica:

"A YG gerencia rigidamente o uso de drogas de nossos artistas. O B.I não tem nenhuma relação ao caso de drogas ocorrido em 2016. A YG compra um ‘kit’ básico de teste de drogas a cada dos meses vindo dos Estados Unidos e realiza um exame. iKON também passou por um exame de urina antes de suas promoções. Incluindo B.I, nenhum dos membros teve um resultado positivo para drogas. 'A' mencionou o nome de B.I em sua investigação para diminuir o peso de seu crime. Vimos o testemunho, e encontramos 'A' em nossa empresa para pedir que ele ou ela corrigisse seu testemunho. É esse o motivo de 'A' ter mudado seu testemunho na terceira investigação".

Após a declaração do Dispatch, B.I revelou seus planos de deixar o grupo através de uma nota divulgada em seu Instagram:


"Aqui é Kim Han Bin. Primeiramente, quero pedir desculpas do fundo de meu coração por causar problemas por conta de minhas ações extremamente inapropriadas. É verdade que eu queria me apoiar em algo que não deveria nem ter tido interesse sobre, por estarmos passando por uma época dolorosa e difícil. Porém, fiquei com muito medo de realmente fazê-lo. Mesmo assim, tenho vergonha e sinto muito aos fãs que se desapontaram imensamente e ficaram magoados por causa de minhas palavras e ações errôneas. Pretendo refletir sobre mim mesmo humildemente e sobre o meu erro, e deixar o grupo. Mais uma vez, curvo minha cabeça e sinceramente peço desculpas aos fãs e aos membros. Desculpem-me."

O programa de variedades da SBS "Law of the Jungle" e o da JTBC "Grand Buda-Guest" responderam às notícias da suposta compra de drogas ilegais de B.I e sua saída do iKON.


B.I era um membro do elenco do "Grand Buda-Guest", que estreiou em 3 de junho e transmitiu dois episódios até 12 de junho. Uma fonte do "Grand Buda-Guest" declarou: "Ele será editado dos futuros episódios. Nós também editaremos os episódios 1 e 2, que já foram ao ar".


B.I tinha completado a filmagem para a nova temporada do "Law of the Jungle", que começará a ser transmitido em 15 de junho. Uma fonte do programa revelou: "Nós planejamos editar as partes nas quais ele aparece cautelosamente".


O "Stage K", da JTBC, também decidiu sobre a aparição de B.I no programa. Uma fonte do "Stage K" declarou ao Xportsnews: "B.I recentemente participou da gravação da rodada 'Rei dos Reis' com Donghyuk (também membro do iKON). Decidimos editá-lo completamente".



A YG Entertainment divulgou uma declaração oficial sobre as alegações de compra de drogas e a saída de B.I do iKON. A declaração da YG Entertainment:


"Esta é a YG Entertainment. Curvamos nossas cabeças e pedimos desculpas por desapontar a todos com o problema do artista Kim Han Bin. Kim Han Bin está se sentindo rm pesada responsabilidade devido ao impacto deste assunto. Levando o assunto a sério, ele decidiu deixar o grupo e terminar seu contrato exclusivo. A YG tornou-se extremamente consciente da nossa responsabilidade de gerenciar os artistas da nossa agência. Mais uma vez, pedimos sinceras desculpas por causar preocupação."

Ainda em 12 de junho, o departamento de narcóticos da Agência de Polícia da Província Sulista de Gyeonggi declarou:


"Entraremos em contato com 'A', que conversou com B.I no KakaoTalk sobre compras de drogas e, se houver alguma mudança no testemunho dado por 'A', reabriremos a investigação. Na época, houve dificuldade em achar provas objetivas que verificassem as alegações feitas sobre B.I fora o testemunho dado por 'A', então fomos incapazes de conduzir uma investigação", dizendo que não acreditam terem feito uma investigação insuficiente em 2016.

Em suas notícias de 12 de junho, a KBS News apresentou declarações de alguém que apresentaram como uma fonte principal relacionada ao caso. Essa fonte declara que, após o dia do testemunho de "A", Yang Hyun Suk entrou em contato com "A" e pediu que uma reunião fosse feita no prédio de sua agência. A fonte ainda alega que Yang Hyun Suk pressionou "A" a mudar seu testemunho sobre B.I e apontou um advogado para "A".


A KBS News também entrevistou um oficial da polícia que estava envolvido na investigação do caso. Ele declarou: "O advogado era diferente de outros advogados. Ele verificou palavra por palavra do testemunho. Foi exagerado. O comportamento de 'A' também mudou, tornou-se nada natural. A primeira coisa que ele ou ela disse quando entrou na sala foi: 'Desculpe-me, detetive'.


KBS News foi entrevistar o advogado envolvido no caso, mas ele recusou a responder e disse: "Você sabe que existem privilégios de advogado e cliente sobre confidencialidade. Eu não posso falar sobre isso". Quando o repórter perguntou sobre Yang Hyun Suk, o advogado disse para que este fosse embora.


Em 13 de junho, a agência falou oficialmente sobre os planos do grupo de embarcar em uma turnê para o Japão, que está planejada para começar em julho. Um representante da YG Entertainment didse ao SPOTV News: "iKON fará sua turnê japonesa como planejado, com seis membros".


O representante da agência também pediu desculpa aos fãs japoneses do iKON, declarando: "Pedimos desculpas por causar decepção aos fãs em relação ao caso envolvendo B.I, do iKON. Os seis membros do iKON continuarão a turnê japonesa do iKON, começando em 27 de julho, como planejado".


Um artigo do Newsis divulgado em 13 de junho declarou que "A", em 4 de junho, anonimamente entregou um documento à Comissão Anti-Corrupção e de Direitos Civis sobre a YG Entertainment ter acobertado o caso usando seus laços com a polícia. O documento foi entregue através do advogado Bang Jung Hyun, que anteriormente enviou os dados das conversas do KakaoTalk entre Jung Joon Young, Seungri e outros à Comissão pelo delator.


O documento supostamente contém informações sobre B.I e drogas ilegais, sobre a intervenção da YG com a investigação policial em relação a "A" em 2016, suspeitas de laços entre a polícia e a YG, e outras informações sobre situações adicionais.


Uma fonte familiarizada com o caso declarou: "Até onde sei, 'A' decidiu entregar o documento apesar do perigo de ser punido (por uso de drogas) após ver que as suspeitas dos laços da polícia com a Burning Sun (boate de Seungri) não tinham sido resolvidos".


No Twitter, fãs postaram ‘hashtags’ como #김한빈_탈퇴하지마 (que significa: Não vá embora, Kim Han Bin), #HANBINSTAYWITHUS (Han Bin, fique conosco), #HANBINDONTLEAVEIKON (Han Bin, não deixe o iKON) e mais para mostrar apoio ao B.I. Eles expressaram seus sentimentos sobre sua saída com mensagens, tais como "Volte quando quiser", "Não imagino iKON sem sete membros", "Não se arrependa, pense de novo".


Outros fãs imploraram, "Você não pode estar falando sério de ir embora assim", "Proteja meus 6 anos", "Por favor, espere um pouco mais, Han Bin. Estou implorando. Não faça isso" e "iKON tem 7 membros, Han Bin".


Um fã postou: "Não, você não pode ir agora. Você é minha estrela e meu ídolo. O que farei se você for embora? Você foi quem assisti para conseguir passar por tempos difíceis. O que farei se você for? Você trabalhou duro para se tornar parte do iKON e se tornou. Você era um gênio compositor que confortava pessoas tristes, então por que está se tornando alguém que entende o que é ser triste? Continuarei gostando de você".

Outro fã compartilhou: "Han Bin, vá assistir o 'WIN: Who Is Next' e o 'Mix & Match' agora mesmo. Se eu fosse você, ficaria muito arrependido de todo o meu trabalho duro para deixar o iKON. Por que é tão fácil ir? Sem você, os outros membros não conseguirão ter um bom futuro".


Fãs também criaram uma petição online com uma tendo mais de 500 000 assinaturas.


Em 13 de junho, a identidade de "A", que conversou com B.I através das supostas mensagens sobre compra de drogas seria a antiga trainee Han Seo Hee.


De acordo com o portal de notícias Edaily e suas investigações, "A" seria Han Seo Hee, antiga trainee envolvida no caso de maconha com T.O.P.. Ela havia sido anteriormente indiciada por fumar maconha com o cantor T.O.P duas vezes em outubro de 2016. Ela também foi acusada de comprar LSD em duas ocasiões distintas.


Han Seo Hee foi sentenciada a quatro anos de condicional com a possibilidade de uma sentença prisional de três anos caso ela repita a ofensa durante o período em condicional. A Corte do Distrito Central de Seul também ordenou 120 horas de reabilitação por uso de drogas.


Han Seo Hee foi presa em agosto de 2016, e a polícia encontrou as mensagens entre os dois artistas através de seu celular. Quando a polícia a interrogou sobre a entrega de LSD a B.I., Han Seo Hee disse que havia feito a entrega em 3 de maio de 2016, na frente do dormitório do iKON. Entretanto, ela mais tarde mudou seu testemunho durante a terceira parte das investigações e disse que B.I teria pedido as drogas, mas que ela não as teria comprado.


Também em 13 de junho, o "Newsdesk" da MBC divulgou uma gravação de uma ligação telefônica com "A", que é chamada de "antiga trainee da YG, Han". Na chamada, ela confirmou que Yang Hyun Suk interviu no processo da alteração de seu testemunho.


O repórter da MBC perguntou à ela se ela teria aceitado a indicação de um advogado para ela feita pela YG, e se Yang Hyun Suk havia dito que ela deveria mudar seu testemunho. Ela respondeu: "Ah, falarei sobre isso outra hora. Mas é o que você pensa. Não é?". Quando o repórter respondeu que entendia, ela continuou: "Pergunte… Não há o porquê de dizer. Você sinceramente sabe". A MBC divulgou que, mesmo que ela reconhecesse a intervenção da YG, ela também estava preocupada sobre ser punida por Yang Hyun Suk. "O que os artigos estão dizendo é verdade", ela declarou. "Serei punida por Yang Hyun Suk. Eu realmente não posso dizer nada... Trocarei meu número de telefone".


O "KBS News" relatou em 13 de junho que a informante "A", supostamente Han Seo Hee, disse ter sido ameaçada por Yang Hyun Suk sobre seu testemunho envolvendo B.I.


Em 23 de agosto de 2016, o dia após ela ter testemunhado à polícia sobre suspeitas do uso de drogas cometido por B.I, ela supostamente foi chamada ao escritório da YG Entertainment e conversou com Yang Hyun Suk. No testemunho entregue à Comissão Anti-Corrupção e de Direitos Civis pelo advogado Bang Jung Hyun pela testemunha, ela declarou que, na época, foi ameaçada por Yang Hyun Suk.


Bang Jung Hyun declarou à KBS que Yang Hyun Suk fez com que ambos tirassem os celulares dos bolsos e concordassem em não gravar a conversa. Depois daquilo, ele supostamente teria dito: "Não seria difícil eu prejudicar você".


Bang Jung Hyun declarou:


"Antes de a delatora ter se encontrado com Yang Hyun Suk, ela contou à polícia toda a verdade assim que foi levada à delegacia pela primeira vez. No primeiro interrogatório, ela testemunhou sobre tudo, incluindo que ela teria fumado maconha com ele e lhe dado LSD após B.I ter pedido para que ela o arranjasse um pouco, a hora, o local e o dia. Entretanto, a polícia não fez uma investigação".

Yang Hyun Suk supostamente continuou a conversa dizendo que artistas da YG nunca são pegos pela polícia ao usarem drogas. Bang Jung Hyun declarou que Yang Hyun Suk disse que um método é usado para remover traços de drogas ainda no organismo para que não sejam detectados nos exames. Ele supostamente teria dito: "Fazemos exames para verificar o uso de drogas periodicamente e, caso drogas sejam detectadas, então eles são enviados ao Japão, onde ingredientes de drogas podem ser removidos de modo a não serem identificados".


De acordo com Bang Jung Hyun, Yang Hyun Suk então disse: "Odeio que nossos artistas acabem indo à delegacia por esse problema. Pagarei o suficiente a você e lhe darei um advogado, então vá à polícia e mude todo o seu testemunho".


Ela declarou que Yang Hyun Suk lhe deu um advogado. Bang Jung Hyun falou:


"De acordo com a delatora, o advogado a defendendo naquela época não era um advogado contratado por ela, e ela sentia como se ele estivesse falando por Yang Hyun Suk e sua posição na YG Entertainment. Eles escreveram cada linha do testemunho em um bloco de notas e a mandaram dizer daquele jeito. Ela disse que eles continuavam lhe dizendo o que fazer enquanto estavam ao lado dela".

Na manhã do dia 14 de junho, Han Seo Hee postou em seu Instagram e compartilhou seus pensamentos sobre a controvérsia atual:


"Estou no exterior. Estou bem. Voltarei à Coreia em dois dias. Não se preocupem. Para ser sincera, eu não sabia que meu nome se tornaria conhecido tão rápido. É verdade que estou surpresa e com medo. Mas me decidi, então não há com o quê se preocupar. Também tem algo que quero dizer. É verdade que vivi irresponsavelmente, fiz o que queria, e disse coisas que podem ter magoado outras pessoas. Reconheço isso e estou refletindo sobre mim mesma. Porém, peço-lhes carinhosamente para considerar esse incidente como algo separado do meu caráter. Sei bem que todos vocês não me veem como alguém agradável. Também é verdade que essa é a imagem que criei de mim mesma. Mas vocês têm que pensar sobre esse incidente como outra coisa. Vocês não deveriam pensar em mim como o foco deste caso. Por favor, eu lhes imploro."

Nos comentários da postagem acima, Han Seo Hee acrescentou a seguinte declaração:


"Se posso acrescentar algo, esse não é um pedido para uma sentença mais leve. O caso de agosto de 2016 envolvendo maconha e uso de LSD e o caso de outubro de 2016, sobre fumar maconha com o T.O.P, eram casos conjuntos, e estou atualmente recebendo minha punição. Os casos eram uma coisa só. Eu não vendo, entrego. Após usar dinheiro de meu próprio bolso para comprar do traficante, eu então entreguei o produto a Kim Han Bin (B.I) pelo mesmo preço. As pessoas dizem que isso é tática de vendedor, mas se você pensar sobre o assunto, não é. Eu não tenho lucro algum. Isso será revelado mais tarde através de um interrogatório apropriado. Se houver uma nova investigação sobre a entrega de drogas, eu então cooperarei fielmente com as autoridades. O foco deve ser Yang Hyun Suk interferindo pessoalmente neste caso, fazendo ameaças, e fazendo acordos com a polícia, mas estou preocupada de que, só porque meu nome foi revelado como a delatora ("A", nos artigos anteriores), o foco tem sido em mim. Estou pedindo que vocês vejam a mim e ao caso como coisas separadas. E eu não sei se isso importa agora, mas tentei impedir até o final que Kim Han Bin fizesse aquilo".

Em 14 de junho, o Dispatch informou que Han Seo Hee teria sido supostamente contatada por Lee Seung Hoon, do WINNER, antes de ser interrogada pela polícia por acusações de ter violado o Ato de Controle de Narcóticos em agosto de 2016.


De acordo com o artigo, Lee Seung Hoon entrou em contato com Han Seo Hee em 1 de junho de 2016, e pediu para conversarem através de uma ligação. Durante a ligação, Lee Seung Hoon disse à Han Seo Hee que B.I tinha tido um resultado positivo em um teste de drogas iniciado pela YG Entertainment na época. Lee Seung Hoon também notificou Han Seo Hee que B.I havia dito a funcionários da YG que tinha usado drogas ilegais com ela.


No final da ligação, Lee Seung Hoon supostamente perguntou à Han Seo Hee se poderia encontrá-la no prédio da YG no bairro Hapjeong. Entretanto, quando Han Seo Hee chegou ao prédio, ela foi recebida por um representante da YG conhecido como "K". "K" supostameente disse à Han Seo Hee que ele estava ali a mando de Lee Seung Hoon e pediu para que ela mantivesse o caso envolvendo B.I em segredo.


Quando o Dispatch mais tarde perguntou a Yang Hyun Suk sobre sua reunião com Han Seo Hee, ele disse:


"É verdade que peguei o celular de Han Seo Hee. Eu estava preocupado no caso dela (querer) gravar nossa conversa. Porém, fui cuidadoso com minhas palavras. Eu disse à ela que iniciamos um teste de drogas duas vezes por mês, mas Han Bin (nome verdadeiro de B.I) nunca teve um resultado positivo para o uso de drogas. Ela então se assustou e mudou seu testemunho por vontade própria".

Em 14 de junho, o advogado Bang Jung Hyun apareceu como convidado na transmissão do "Kim Hyun Jung's News Show" da CBS e disse: "É difícil revelar qualquer informação agora, mas houve um incidente no qual um membro de outro grupo masculino agiu como intermediador entre YG e Han Seo Hee e tentou esconder o caso de drogas. Não sabemos se ele fez isso por vontade própria, por ter sido ordenado ou por causa de seu relacionamento pessoal com Han Seo Hee.


No programa, Bang Jung Hyun declarou:


"A delatora (Han Seo Hee) veio falar comigo no final de abril e disse que, mesmo ela tendo entregue as mensagens do KakaoTalk como evidências e testemunhado contra Kim Han Bin (para a polícia em 2016), o caso de drogas ainda assim foi acobertado. Ela disse que queria revelá-lo publicamente. Procurei registros do caso para determinar se a delatora estava ou não falando a verdade, mas as mensagens do KakaoTalk que supostamente teriam sido entregues foram excluídas dos documentos oficiais. Achei muitas coisas suspeitas enquanto verifiquei os arquivos da investigação. A delatora foi presa em 22 de agosto de 2016. Ela escreveu duas declarações na Delegacia de Polícia de Yongin Dongbu, durante a qual ela disse à polícia sobre usar drogas com Kim Han Bin. Uma semana mais tarde, em 30 de agosto, a delatora mudou seu testemunho durante seu terceiro interrogatório. Na época, a polícia a perguntou o motivo de ter mudado seu testemunho se já tinha admitido ter usado drogas com Kim Han Bin nos dois interrogatórios anteriores. Com isso, arquivos relacionados aos dois primeiros interrogatórios deveriam existir, mas fui incapaz de localizá-los. Os testemunhos da delatora sobre Kim Han Bin desapareceram."

Quando o advogado pediu à polícia explicações sobre os documentos perdidos, eles responderam que tal conversa não aconteceu durante os interrogatórios. Na verdade, disseram que não registraram a conversa em documentos oficiais já que aconteceu em privacidade após a libertação de Han Seo Hee.


Também em 14 de junho, Yang Hyun Suk divulgou uma nota oficial sobre as controvérsias envolvendo a YG Entertainment. Enquanto negando as alegações, ele anunciou seus planos de deixar sua posição na YG Entertainment.


O fundador da agência disse:


"Sinto muito aos fãs que amam a YG e as celebridades de nossa agência. Eu também sinto muito a todos os nossos empregados que continuam silenciosamente fazendo seu trabalho mesmo com a onda de criticismo. Tenho tolerado pacientemente palavras sobre a situação atual que são muito desagradáveis e humilhantes para serem mencionadas já que elas têm sido ditas como se fossem a verdade incontestável. Porém, penso que agora é uma época difícil. Julgo que não há mais como essa ser uma situação na qual a YG, as celebridades de nossa agência e os fãs sofram por minha causa. Por 23 anos, dediquei metade da minha vida e tudo que tenho ao crescimento da YG. O trabalho de apoiar a melhor música e os melhores artistas foram a maior felicidade que tive. Tenho pensado que essa é a única maneira através da qual posso contribuir aos fãs e à sociedade. Entretanto, deixarei todas as minhas posições e meu trabalho na YG a partir de hoje. Eu sinceramente espero que não ocorra nenhum dano às celebridades da YG que amo, e aos fãs que os amam, por minha causa. Atualmente, há muitos especialistas na YG que têm mais capacidade e mais senso comum do que eu. Penso que minha saída será uma boa oportunidade para eles exibirem suas habilidades ainda mais. Desejo sinceramente que a YG possa se estabilizar assim que possível. Por último, acredito que a verdade dos atuais artigos de mídia e fofoca maldosas será revelada através das investigações. Obrigado".

Também no dia 14 de junho, o diretor Na Won Oh da divisão investigativa da Agência de Polícia da Província Sulista de Gyeonggi revelou:


"Formamos uma equipe exclusivo que será responsável pela investigação das suspeitas da suposta tentativa de compra de drogas feita por B.I. A equipe consiste em 16 pessoas do departamento de investigação de drogas e do departamento de apoio legal. Acreditamos que Han Seo Hee fará seu melhor para cooperar com nossa investigação já que mostrou determinação por ser a delatora. Se a situação mudar e precisarmos investigar mais pessoas, traremos mais pessoas à equipe e nos esforçaremos ao máximo para sanar todas as dúvidas que surgiram até agora".

Sobre os supostos laços da YG à polícia, Na Won Oh declarou:


"Olhando ao relatório da investigação e de nossos informantes da época, não somos capazes de confirmar que a YG tentou acoberdar a verdade. Nos sentimos arrependidos porque seria melhor se tivéssemos intimado B.I para um interrogatório e investigado mais cuidadosamente. Faremos a investigação estando abertos a todas as possibilidades sobre suspeitas do uso e compra de drogas por B.I, destruição de provas pela YG e negligência do trabalho pelo oficial de polícia responsável pelo caso em 2016".

Ainda em 14 de junho, a Comissão Anti-Corrupção e de Direitos Civis declarou através de uma nota oficial:



"Recentemente, informamos as autoridades e portais de mídia sobre a possibilidade de uma violação da lei sobre artigos fazendo referências a ou identificando a delatora que revelou informações usando um pseudônimo. A lei estipula que ninguém deve informar outros, revelar ou divulgar informação pessoal, ou outros dados sem consentimento, relacionados à informante, sabendo que ele ou ela é a delatora. Violação da lei pode resultar em 5 anos de prisão ou até 50 milhões do won (cerca de R$164.283) em multas".

Min Seong Sim, da Comissão, comentou:


"A chave para a proteção de delatores é ter certeza de que a identidade da delatora não seja revelada, mas artigos recentes sugerindo a identidade da delatora são bem preocupantes. A mídia, que aumenta a transparência em nossa sociedade através de divulgações de corrupção e violações do interesse público, devem prestar mais atenção à proteção dos delatores".


Min Seong Sim também pediu à mídia que evitasse declarar a identidade da delatora ao anexar um documento oficial. No documento oficial, a Comissão declarou: "No caso da mídia revelar casos de corrupção e assuntos relacionados a delatores no futuro, pedimos sua cooperação para garantir que as obrigações de confidencialidade dos delatores sejam cumpridas completamente.


Também foi relatado que a Comissão Anti-Corrupção e de Direitos Civis planeja tomar uma ação quanto às escolhas da informante: "A informante está se preparando para tomar medidas legais. Haverá problemas que podem ser resolvidos pelas autoridades investigativas e, no caso da Comissão, tomaremos decisões de acordo com a vontade e decisão da informante".


Também em 14 de junho, o CEO da YG, Yang Min Suk, irmão de Yang Hyun Suk, divulgou uma nota oficial sobre sua saída de sua posição na empresa:


"À família YG: a todos aqueles que vêm trabalhando esforçadamente nesse meio atual, eu gostaria de expressar minhas desculpas assim como minha gratidão. Estou extremamente envergonhado de mim mesmo quando penso em todos aqueles se sentindo inseguros e preocupados por causa dos problemas contínuos e provocativos que têm acontecido desde o começo do ano. Yang Hyun Suk e eu nos mergulhamos em atividades musicais e de gerenciamento, e temos aguentado silenciosamente todas as especulações porque acreditamos que a verdade certamente virá à tona. Porém, conforme tenho observado as diferentes situações continuamente por causa das celebridades, que não tem relação com os problemas recentes, em nossa agência sofrendo, percebi que é difícil superar somente aguentando. Para que a empresa resolva essas dificuldades atuais, cresça e prepare para um novo lançamento, acredito que uma grande mudança seja necessária. E para que não haja nenhum mal-entendido sobre a decisão de Yang Hyun Suk de deixar a empresa, acredito que é necessária uma clarificação de minha parte. Após pensar cuidadosamente no meio dessas situações, decidi deixar minha posição de CEO na YG Entertainment, na qual estive por muito tempo. Há pouco tempo, durante a comemoração do 23.º aniversário da fundação da YG Entertainment, compartilhei com vocês que, primeiro, nós mesmo devemos mudar para superar as dificuldades atuais. Eu sinceramente espero que minha decisão será o começo de uma grande, nova e positiva mudança para a YG. Obrigado".

Em 15 de junho, a YG Entertainment divulgou uma nota oficial negando o envolvimento de Lee Seung Hoon, do WINNER, no caso de 2016, também esclarecendo o apelido "Vice-Diretor Lee":



"Olá, aqui é a YG Entertainment. O boato de que Lee Seung Hoon é um vice-diretor da YG não é verdade, é um simples mal-entendido. 'Vice-diretor' é um apelido dado ao Lee Seung Hoon por ele ter sugerido muitas ideias à agência. Os cartões de visita em questão também foram usados como itens cenográficos para criar um vídeo. Também não é verdade que Lee Seung Hoon interviu na controvérsia envolvendo 'A', e acreditamos que isso será revelado através das investigações. Sinceramente pedimos aos portais de notícias não publiquem artigos especulativos sobre o assunto".

O programa "9 O'Clock News" da KBS relatou novos detalhes sobre o caso de 2016. A KBS confirmou que a polícia registrou um relatório investigativo sobre as alegações de droga contra B.I quando encaminharam o caso à procuradoria, e a procuradoria que não fez nada sobre o assunto.


O documento ao qual a KBS se referiu é datado de 31 de agosto de 2016, o dia após "A" voltou à polícia com seu advogado para mudar seu testemunho sobre o envolvimento de B.I. O documento claramente contém o nome real de B.I, Kim Han Bin, no título, e o relatório também inclui notas sobre como "A" tinha falado anteriormente sobre comprar maconha para B.I e entregá-la a ele, mas mudou seu testemunho quando voltou com seu advogado.


O relatório conta as suspeitas que a polícia tinha na época sobre o novo testemunho, declarando como o advogado não permitiu que "A" falasse livremente e como a testemunha parecia ter recebido instruções escritas para dar um testemunho obscuro. Também foi declarado que, quando o advogado deixou a sala momentaneamente, "A" começou a chorar e disse: "Desculpem-me. Há algo acontecendo sobre o qual não posso falar".


A polícia declarou que o relatório assim como as mensagens de KakaoTalk que "A" tinha entregado, ambos foram encaminhados à procuradoria para maior investigação. Com tais dealhes sendo revelados, novas perguntas surgiram sobre o porquê a procuradoria não investigou as queixas envolvendo B.I apresar de ter recebido um relatório e provas, e o motivo de terem permitido que "A" deixasse o país e fosse ao exterior mesmo tendo dado tal testemunho.


A YG Entertainment divulgou uma declaração oficial de que Han Seo Hee nunca foi uma trainee da agência. Em 17 de junho, a YG Entertainment divulgou um comunicado que dizia: “'A', a pessoa conhecida como informante, nunca foi trainee da YG Entertainment.” Eles explicaram: “Embora tenhamos feito pedidos aos meios de comunicação para fazer correções, a informação continua a ser relatada. Portanto, gostaríamos de reafirmar o fato de que "A" nunca foi uma trainee da YG mais uma vez através desta declaração oficial. "


Em 17 de junho, o General Comissionário Min Gap Ryong da Agência Nacional Coreana de Polícia discursou em uma coletiva de imprensa sobre os problemas relacionados à drogas envolvendo a YG Entertainment.


O Comissário declarou:


"Nós investigaremos cuidadosamente as suspeitas que surgiram atravéss da formação de uma equipe exclusiva que será comandada pelo diretor da divisão investigativa da Agência de Polícia da Província Sulista de Gyeonggi. Nós aprendemos uma lição enquanto investigávamos a Burning Sun. Utilizando completamente todo o conhecimento que ganhamos através de outros casos similares e casos anteriores de drogas, conduziremos uma investigação exaustiva para resolver todas as suspeeitas levantadas pelo público. Porém não podemos revelar detalhes da investigação".

Também em 17 de junho, o advogado Bang Jung Hyun divulgou uma nota em nome de "A":


"Aqui é o advogado Bang Jung Hyun. Fui eu quem fez a denúncia à Comissão Anti-Corrupção e de Direitos Civis (referida aqui como CACDC) [por "A"]. A CACDC está atualmente verificando o conteúdo do relatório, e selecionará uma organização investigativa à qual transferirão o caso. A informante fez uma denúncia anônima à CACDC através de um representante. Consequentemente, 'A' será intimada pela organização investigativa escolhida pela CACDC a prestar depoimento. Isso alinha-se às intenções da informante ao entregar um relatório anônimo à CACDC. A informante cumprirá completamente a decisão feita pela CACDC. Se a informante fosse à uma organização investigativa sem ser intimada a preestar depoimento, isso iria contra o propósito de fazer uma denúncia anônima à CACDC. Recentemente, através de um portal de notícias, o nome da informante foi revelado. Essa é uma infração clara da lei que protege delatores. A razão pela qual a informante está atualmente morando no exterior é o perigo que corre por causa dos artigos recentes. Ademais, a polícia revelou a localização da informante a vários portais de notícias, e eles estão continuamente revelando em que país a informante está. Adicionalmente, há incontáveis artigos dizendo que 'parece que a informante não planeja responderàs intimações'. O foco desse caso não é a informante. O foco é como as suspeitas sobre B.I e seu suposto envolvimento com drogas foi acobertado. O foco é investigar se houve influência da YG na polícia já que o caso não foi investigado. Peço para que foquem na essência do caso e não na informante. Mais uma vez, a informante cumprirá com toddas as decisões feitas pela CACDC. Uma vez que a organização investigativa for selecionada, a informante voltará à Coreia para prestar depoimento. Obrigado".


Em uma coletiva de imprensa feita em 18 de junho, o segundo vice-diretor Lee Soo Kwon do Escritório da Procuradoria do Distrito de Suwon declarou: "Na época, a polícia somente encaminhou o caso sobre 'A', que tinha trocado mensagens de KakaoTalk com o B.I, as quais sugeriam uma compra de drogas. B.I não foi o alvo da investigação. A procuradoria interrogou 'A' uma vez, mas o interrogatório não foi feito adequadamente porque ela chorava continuamente. B.I não foi mencionado durante o interrogatório".


Ele acrescentou que eles tinham recebido da polícia um relatório de duas páginas de uma investigação interna que mecionava o nome do B.I. A procuradoria entendeu que isso significava que a polícia estava conduzindo uma investigação interna e por isso não conduziu uma investigação própria.


Também em 18 de junho, o "News 9" da KBS 1TV reportou o desenvovimento do caso. O programa de notícias disse:


"Hoje, a Comissão Anti-Corrupção e de Direitos Civis encaminhou o caso da delatora com alegações de acobertamento por parte da YG ao Escritório da Procuradoria Pública Suprema. Há três pontos principais no relatório enviado à Comissão no começo deste mês: as acusações sobre o uso de drogas de B.I, as suspeitas de corrupção entre Yang Hyun Suk e a delegacia, e o acobertamento sistemático de criminosos cometido pela YG Entertainment. Parece que o foco será nas alegações de acoberdamento ou interferência da YG e de Yang Hyun Suk nos casos envolvendo seus artistas".


Bang Jung Hyun, o representante legal da informante, disse: "Lendo cuidadosamente os relatórios do caso feito na época, houve circunstâncias que levantaram suspeitas sobre o relacionamento próximo entre a YG Entertainment e a agência investigativa".


A procuradoria declarou que, após o caso ser enviado ao escritório da procuradoria, será decidido se o caso será investigado pela própria procuradoria ou enviado à polícia com instruções da procuradoria.


Os problemas descritos pelo "News 9" são que a polícia é o tema do relatório da delatora e o processo investigativo da procuradoria também é dúbio. Uma investigação também parece ser necessária para deterinar três suspeitas sobre a investigação da procuradoria: a procuradoria realmente enviou uma ordem para que o caso fosse encaminhado após a mudança no testemunho de "A"? Após o caso ser encaminhado, por que a procuradoria não ordenou uma reinvestigação ou investigação complementar? Por que a informante deixou o país sem uma investigação após o encaminhamento do caso?


Um novo relatório do No Cut News, da CBS, declarou que o Tenente "B", o oficial da polícia responsável pelo caso de 2016, teria recebido uma promoção especial por como lidou com o caso.


De acordo com várias fontes, o Tenente "B" da delegacia de polícia de Yongin Dongbu foi promovido para uma patente acima no final de 2016. A promoção especial foi o resultado da erradicação dos crimes relacionados à drogas envolvendo Han Seo Hee feita pelo Tenente. Uma fonte da polícia compartilhou: "A promoção especial foi baseada em como ele lidou com o caso de Han Seo Hee". Isso indica que a polícia acreditava que a investigação sobre Han SSeo Hee tinha sido bem feita, o que contratia as suspeitas recentes de investigação insuficiente.


Em uma ligação com o programa, o líder da equipe de investigação de narcóticos da Agência de Polícia da Província Sulista de Gyeonggi explicou: "O Tenente 'B' prendeu 53 criminosos relacionados à drogas de maio a outubro de 2016, e Han Seo Hee é só uma deles. A razão de sua promoção não foi o caso de Seo Hee e B.I".


Han Seo Hee foi presa e interrogada em 22 de agosto de 2016. O Tenente "B" fez os primeiros dois interrogatórios no mesmo dia e pediu um mandado de prisão para Han Seo Hee. Entretanto, o pedido foi negado pela procuradoria, e Han Seo Hee foi enviada de volta para casa. O Tenente "B" declarou que Han Seo Hee mencionou o nome de B.I logo antes do mandado de prisão ser negado e teve que ser enviada de volta para casa antes que qualquer outra informação pudesse ser obtida. Ela foi ao seu terceio interrogatório com um advogado e mudou seu testemunho.


Fique ligad@ para mais informações.


Fontes: (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11) (12) (13) (14) (15) (16) (17) (18) (19) (20) (21) (22) (23) (24) (25) (26) (27) (28)

Instagram

Youtube

Facebook

Twitter

Email para contato: osowakorea@gmail.com

541.111.418-70

Prazo de entrega: 7-10 dias úteis