• Tas

Ban Min Jung fala sobre abuso sexual + esperança de futuro da indústria



Ban Min Jung revelou que ela foi a atriz que sofreu abuso sexual de Jo Deok Jae.


Em outubro de 2017, Jo Deok Jae foi acusado de abusar sexualmente de uma atriz enquanto filmava um filmava um filme em 2015. Na época, a identidade da atriz foi mantida em sigilo para o público.


Em 13 de setembro, Ban Min Jung revelou sua identidade pela primeira vez em 40 meses, na frente à entrada principal da Suprema Corte.


Neste dia, a Suprema Corte negou o apelo de Jo Deok Jae e confirmou seu veredito original de 1 ano de prisão com período experimental de 2 anos e 40 horas de um programa de tratamento para agressores sexuais. Este dia marcou o fim da longa batalha entre Ban Min Jung e Jo Deok Jae, que iniciou-se em maio de 2015.


Ela começou: "Eu sou Ban Min Jung, que foi chamada como atriz e vítima do caso de abuso sexual de Jo Deok Jae. Fui abusada sexualmente por meu colega Jo Deok Jae em 2015, enquanto filmávamos um filme. Após denunciá-lo para a polícia em maio, estive lutando por 40 meses até agora. Embora estivesse com medo de falar sobre a violência sexual, os erros adicionais de Jo Deok Jae e seus conhecidos eram sérios. Após denunciar isto à polícia, perdi tanto durante os 40 meses que passaram. Embora tenha sido vítima de agressão sexual, foi difícil continuar atuando por estar envolvida em fofocas maliciosas. Palestras pararam e as pessoas me deixaram. Perdi minha saúde, vontade de viver, e tudo mais.


Eles dizem que se você é vítima de abuso sexual, deveria seguir a lei e foi o que eu fiz. Mas eu perdi tudo e estou num momento tão doloroso a ponto de pensar que a morte talvez seja melhor. Quando Jo Deok Jae foi considerado culpado no segundo julgamento, ele revelou sua identidade para a mídia, distorceu a verdade sobre o incidente de abuso sexual e, continuou espalhando comentários maliciosos e informações falsas sobre mim com seus conhecidos como Lee Jae Po. Tudo o que ele disse sobre mim na mídia, online e nas redes sociais, é mentira e completamente falso."


Sobre revelar sua identidade, ela explicou: "Eu queria ser solidária com as vítimas de abuso sexual. Espero que haja mais vítimas de uma caça às bruxas como eu. Espero que outra pessoa sinta esperança dos 40 meses que passei que aguentei somente porque estava determinada a revelar a verdade."


Ela conclui: "Mais do que tudo, estive diante de todos com a esperança de que este veredito traga uma mudança significativa para a indústria cinematográfica. 'Atuar' e 'abusar sexualmente sob o pretexto de atuar' são diferentes. Violência não deve tornar-se uma prática comum e atitudes incorretas devem desaparecer. Eu espero que o veredito do meu caso torne-se um catalisador que remova o abuso sexual da indústria cinematográfica, ao invés de ser tratado como 'prática comum' como tem sido. O que Jo Deok Jae fez foi abuso, não atuação."



Em abril de 2015, Jo Deok Jae foi acusado de abusar sexualmente de Ban Min Jung. Ele colocou as mãos na calça dela, rasgou suas roupas de baixo e tocou seu corpo sem consentimento.


Ele foi inocentado no primeiro julgamento em dezembro de 2016, mas considerado culpado no segundo julgamento em outubro de 2017, onde foi sentenciado a 1 ano de prisão com período experimental de 2 anos e 40 horas de um programa de tratamento para agressores sexuais. Em 13 de setembro, a Suprema Corte julgou improcedente seu apelo e confirmou a sentença do segundo julgamento.


Fonte: (1)

Instagram

Youtube

Facebook

Twitter

Email para contato: osowakorea@gmail.com

541.111.418-70

Prazo de entrega: 7-10 dias úteis