• Tas

Amber, do f(x) sobre comunidade LGBTQ+ e tolerância: "Amor é amor"


Recentemente, Amber, membro do f(x), sentou-se com Jeff Benjamin, da Billboard, para compartilhar opiniões sobre "Rogue Rougue", um projeto que ela chamou de uma oportunidade muito esperada para mostrar seu verdadeiro eu.


A musicalidade multi facetada da Amber pode ser encontrada espalhada pela mixtape, mas o verdadeiro esforço foi uma genuína expressão da pessoa por trás das melodias. "Eu queria falar, tipo 'Pessoal, eu não sou quem vocês pensam que sou'". Amber disse, na entrevista, sobre a inspiração por trás da mixtape: "Eu queria a capacidade de ser eu mesma".


Cada faixa de "Rouge Rouge" é uma declaração - cada uma delas é especialmente importante. "LIFELINE", cujo videoclipe contém dois dançarinos masculinos, envia uma mensagem muito necessária sobre a importância da inclusão e aceitação da comunidade LGBTQ+. "É somente amor. Amor é eterno. Amor vem em muitas formas e tamanhos e esta música é para qualquer um a quem você queira dedicá-la. Gay, hétero, bi, o que seja, não importa. Amor é amor", afirmou Amber à Billboard.


"Amber por si mesma falou comigo pelas redes sociais já que é um projeto independente dela. Marcamos para conversarmos e acabamos falando mais do que uma hora e meia. Foi provavelmente uma das entrevistas mais honestas que já fiz com um artista de K-POP, e à ela sou muito grato", Jeff Benjamin comentou, "Havia tanto a ser discutido, mas eu fiquei comovido com sua coragem e confiança em alinhar-se como uma aliada da comunidade LGBTQ+. Houve uma hesitação quando a perguntei sobre ser uma aliada e isso foi tão poderoso - não tenho certeza se qualquer ídolo conhecido de K-POP falou tão abertamente e confiantemente sobre tal tópico. Eu realmente quero agradecer à Amber e espero que isto realmente crie um novo nível na indústria quando à aceitação e ao amor".


Abaixo segue a tradução da entrevista completa à Billboard:

Musicalmente, a primeira coisa que realmente capturou minha atenção sobre Rogue Rogue foi o fato de não haver rap nisto e que ue você sempre foi conhecida como "a rapper".

Sempre fez parte de mim, mas eu não sou uma rapper. Eu sou uma cantora. Eu faço rap, mas não me considero uma rapper. Eu amo escrever músicas e raps são a minha parte favorita de composição, mas não sou uma rapper. Eu simplesmente amo cantar. Eu amo narrações. Eu amo usar minha voz. Faz quase 10 anos que estou nesta indústria e eu ainda vejo pessoas que dizem, "Ela é difícil, forte, tão corajosa". Não! Eu tenho muito medo de tudo. Sou muito, muito emocional. Sou extremamente sensível! Se você diz algo para mi, ficarei pensando sobre aquilo até chegar em casa. Eu gostaria de poder falar, "Pessoal, eu não sou quem vocês pensam que sou". Eu queria a capacidade de ser eu mesma.


A primeira música é "Get Over It", que tem uma vibe relaxada mas tem versos bem corajosos. Com suas próprias palavras, como você a descreveria?

Aquela música inteira foi basicamente: "Nós somos pessoas, todos temos opiniões, todos concordamos em discordamos, todos discordamos em concordar", então ao invés de focarmos tanto em nossas diferenças, vamos simplesmente superá-las. Muitas pessoas não sabem o que acontece por trás de tudo, se é o público ou a família, amigos, companheiros de trabalho e, independentemente, todos têm suas opiniões e, no final, ninguém está certo e ninguém está errado. Eu acho que isso é muito legal... uma gama de pessoas têm estado comigo nesta jornada. Sou muito grata a todos que estiveram comigo, realmente acreditaram em mim e fizeram com que eu me esforçasse mais. Foi muito divertido, mas eu queria dormir um pouquinho mais. [Risadas] Mas eu escolhi esta para ser a música de abertura porque esta música sou eu agora. Sou todo tipo de coisas: sou legal, sou uma peste, mas você é uma peste também! Mas eu queria que o vídeo juntasse toda a jornada juntos e destacasse essas pessoas.


Há um verso sobre "merda com gosto de cortador de biscoito". Isso soa como um golpe na indústria.

Realmente é um golpe numa gama de pessoas e ao público. Eu acho que o ruim é a pressão desnecessária que a sociedade e nós colocamos uns nos outros e é aí que a expectativa de eu "ser uma tomboy" ou esperarem que eu seja isto ou aquilo. Eu só fico com tudo internamente. Eu não era uma pessoa expressiva. Tenho 25 anos agora. Não agirei como uma adolescente. Eu acho isto é uma coisa que as pessoas que crescem na indústria e jovens ídolos em que lidar com: isto é um negócio também. Há muitas coisas boas e coisas ruins que acontecem neste mundo, e não podemos ignorá-las porque somos do entretenimento, que é um mundo de fantasia. Acontece nos EUA também. Acho que esta é minha maneira dizer, "Vamos lá, pessoal, vocês não podem me tratar como se eu tivesse 16 anos mais. Não sou burra".


Sobre o que "Closed Doors" está falando?

Se eu tivesse que resumi-la, seria "respeite minha privacidade". Tenho o privilégio e a honra de compartilhar minha vida com pessoas, mas às vezes eu ficava muito sobrecarregada, porque há uma expectativa para que você compartilhe toda a sua vida agora. Sinto muito, mas eu gosto de ter o meu tempo com as pessoas. Há uma benção de estar em destaque, mas pessoas nos seguem e querem ficar fazendo perguntas -- é acima do limite, às vezes. Houve vezes em minha carreira que coisas como essas afetaram meus relacionamentos com pessoas. Eu acho que o ruim nesta indústria... há muita fofoca e rumores -- rumores podem estragas vidas. Por que se meter nos assuntos alheios quando não têm nada a ver com você? Felizmente, meus fãs são muito respeitosos quanto a isso, porque definitivamente houve épocas em que eu estava mentalmente esgotada ou não sairia da minha casa por semanas ou meses. Eu estava paranoica, pessoas estavam me seguindo. São meio os ossos do ofício, mas eu ficava assim quando pessoas esperam coisas de você e lhe interrogam por informações.


Houve algum rumor que realmente a magoou?

Isto não foi um rumor, mas havia afirmações como "Sua família é tão rica!", e é tipo, "Cara, deixe minha família fora disso". Eles trabalharam duro? Se você quer compartilhar sua história, então compartilhe-a. Não exija isto de alguém.


Nos leve por "High Hopes", uma faixa muito eufórica e focada em EDM.

Quando crianças, nós fazíamos o que fazíamos porque amávamos. Eu acho que cinco, seis anos atrás, eu estava em um ponto onde estava apenas começando, mas pensava: "Treinei noite e dia para isto, por que não estou feliz? Por que me sinto vazia?". Acho que perdi aquela esperança infantil em mim, foi quando pensei: "Se eu conseguir reaprender a amar coisas e aproveitar cada momento, acho que conseguiria mudar minha perspectiva".


Com o trabalho, é uma rotina, é uma demanda, há uma cota a cumprir, há todos estes números. Mas você sabe o quê? Foi quanto caiu a ficha. Apaixonei-me por música porque me dava uma rota de fuga, me dava força e confiança. É sobre aquela jornada, e nunca perder aquela esperança em seu coração. Há um verso, "Ecos distantes chamando meu nome para que eu volte para casa", isso foi literalmente pessoas em casa dizendo, "Volte! O que diabos você está fazendo bagunçando por aí?", e eu respondo, "Não, farei o que amo e isto não é uma coisa ruim". O videoclipe é sobre seguir seus instintos, também. Tenho certeza que quanto você estava escrevendo, não estava pensando, "Irei escrever para a Billboard!". Não, você estava, "Irei escrever qualquer coisa. Quem quer que me aceite, escreverei para você!". É assim, para mim. Eu estava entrando em contato com produtores e falava, "Ei! Escreverei qualquer coisa!" e foi o que fiz. Escrevi em todo lugar e aprendi. Não estou correndo até nenhum produto, estou correndo até minha jornada total. Felizmente, posso fazer isso pelo resto de minha vida -- espero eu. [Risadas]


"Right Now" tem seu lado emocional e amoroso em R&B aparecendo.

Éééééé, amor é uma merda!!! [Risadas] Aquela música tem estado comigo por cinco anos. Uma história curiosa sobre aquela música, o produtor Gen Neo, que é meu treinador vocal e basicamente meu mentor em tudo, ele na verdade escreveu esta música em 2011 ou 2012, e disse que a jogaria no lixo. Nós tivemos que mudar a música 3 ou 4 vezes antes dela se tornar o que é hoje. Ele não queria estar nela, mas eu disse, "Você tem que estar nela! Todos falam que soamos ótimos juntos.".Nós originalmente gravamos a demo de "Goodbye Summer" (música do f(x)) juntos.


Mas ambos, eu e o Gen, somos terríveis em relacionamentos, e eu sou muto receosa quanto a relacionamentos. Direi, sou fresca e exigente. [Risadas] Eu tenho uma personalidade do tipo "tudo ou nada", e é exatamente por isso que sou exigente porque, se eu namorar você, quer dizer que quero casar com você. Quero passar minha vida com você. Eu lembro que levei cinco anos para superar um dos meus ex-namorados. Não é algo que falamos muito sobre na indústria, e não é algo que as pessoas veem, mas tenho sido uma bagunça emocional. Sou sensível. Mas, quando terminam comigo, eu aprendo muito sobre mim mesma.


Quantos anos você tinha quando se apaixonou pela primeira vez?

Hm, vamos ver. Defina "amor"? A razão pela qual pergunto é porque, depois de um de meus relacionamentos, eu estava tipo "É isto", e me agarrei a ele por muito tempo até eu achar o próximo concorrente - ou devo dizer, vítima, este é um jeito divertido de dizer. Mas eu acho que, toda vez que estou em um relacionamento, a definição de amor muda. A primeira vez que eu disse "eu amo você" para alguém, eu tinha 16 anos. Hm, é lógico, foi uma merda. Mas a definição de amor muda e mudou dos 16 aos 25.


Eu quero lhe perguntar sobre uma das minhas favoritas, "Linfe Line". O som da música é tão inesperado.

Você gosta de "Life Line"?! Uau, essa foi a música mais difícil para mim. Eu ouvia a batida e fiquei tipo, "Não tenho nada para escrever". Normalmente quando eu escrevo, normalmente começa com o tópico ou uma visão além das melodias. Eu reescrevi esta umas quatro ou cinco vezes, completamente, e a ideia de "Life Line" (linha de vida) não veio até a terceira ou quarta vez. Fiquei muito hesitante quanto a colocar esta na mixtape. Mas eu estava falando com o Kyle [Pham] (o produtor/diretor do videoclipe) sobre a música e como eu tenho passado quanto à minha vida amorosa, mas às vezes eu preciso de encorajamento. E ele entendeu e seguiu a onda.


Eu amo o vídeo e quão bonito é o visual com os dois homens dançando juntos. Eu sinto que não costumamos ver dois dançarinos trabalhando desde jeito. E também foi legal mostrar "representação" daquele jeito.

Minha amiga Stephanie [Michova] que dirigiu o clipe de "Closed Doors", Kyle e eu ficamos só nas ideias. Discutimos uma história de amor, dançarinos e uma hora dissemos, "Cara, que tal usarmos dois homens?", e eu fiquei tipo "É isso aí!". Foi uma sessão muito orgânica e de despejarmos ideias. Se é amor, irmandade masculina, irmandade feminina, o que quer que seja, relacionamentos são todos diferentes. Achamos que ter alguma representação para a comunidade LGBTQ+ seria muito incrível, também. Mas eu queria algo sobre tensão, sobre duas pessoas estrem tão perto e tão longe ao mesmo tempo. Aquela música é sobre alguém dizendo que estarão lá por você, e que estão lá por você, então porque você não está?


Você sabe que depois de dizer isso, fãs irão ter teorias sobre ser inspirada em um membro do seu grupo ou algo mais obsceno.

[Dá uma risada chocada] Minhas músicas podem ser sobre múltiplas situações na minha vida. O que você pensa pode ser a história, mas esta música, eu direi, é sobre múltiplas situações. Sempre terão muitas pessoas que dirão "Estou ao seu lado", mas se você ligar para eles quando estiver afundada na merda, eles não atenderão o telefone. Eu acho que isso acontece muitas vezes na vida: pessoas que viram as costas para você, pessoas que apunhalam você e, no final, você admite: "Creio que estou sozinha". Mas, depois dessa música, deste projeto, percebi o quão grata eu sou por ter as pessoas que tenho ao meu redor.


Tudo levando ao gran finale na mixtame, "Three Million Years"

Eu queria escrever uma música, expectativas deixadas de lado, simplesmente verdadeira e honesta. Eu queria uma música que eu pudesse cantar para alguém que amo. Algo tão brega e ótimo, mas que significa o mundo e é 100% verdadeira em cada verso. Há partes de mim que não gosto de mostrar mas, à pessoa que amo, consigo me abrir e eu queria encorpar aquela felicidade. Porque, como um tudo, esta mixtape é bem raivosa e triste [Risadas], mas eu queria mostrar que há um lado besta de mim, também. O videoclipe mostra isso, também -- se você fosse filmar algo para alguém que você ame, incluiria todos os seus amigos e faria as coisas mais estúpidas, e seria tão brega mas tã ótimo! E é isso que eu queria.


Nos momentos de abertura do vídeo, você está usando dois pins na sua jaqueta: um com um coração vermelho e um com um símbolo da paz, com as cores do arco-íris. O que os pins significam para você?

É somente amor. Amor é eterno. Amor vem em muitas formas e tamanhos e esta música é para qualquer um a quem você queira dedicá-la. Gay, hétero, bi, o que seja, não importa. Amor é amor.


Eu vi isso e pensei que foi um momento realmente incrível de inclusão que não vemos com frequência no mundo do K-POP, ainda.

Eu tenho muitos amigos LGBTQ+, e quanto você ama muito alguém, porque outro alguém tiraria isso de você? Assim como eu digo em "Closed Doors", é a privacidade deles, é o relacionamento deles. Você também está em um relacionamento com eles? Não, você não está! [Risadas]. Quando eu saio com um dos meus amigos trans, ele está tão feliz de ser quem é agora. E vê-lo fazer sua transição, o processo é incrível. E você sabe, amor é amor. Novamente, é a privacidade deles.


Você se considera uma aliada da comunidade LGBTQ+?

Claro, claro. Amor é amor, cara. Só vai na onda! Como Scott (Hoying) e Mitch (Grassi) do Pentatonix, alguns dos meus melhores amigos são gays, e são as pessoas mais belas que eu conheço. Eu sou uma tomboy andrógena com tatuagens, piercings, com um passado cultural asiático muito conservativo, e estou no entretenimento. Eu quero que as pessoas simplesmente sejam as melhores versões delas mesmas. Pessoas falam tipo, "Você é uma garota, porque tem tatuagens?", e eu respondo, "Bom, eu tenho ainda mais! Dá uma olhada!". Você não pode julgar as pessoas se não as conhece. Apoio completamente a igualdade.


Fonte: (1) (2)


Instagram

Youtube

Facebook

Twitter

Email para contato: osowakorea@gmail.com

541.111.418-70

Prazo de entrega: 7-10 dias úteis